Vale a pena reformar o imóvel para alugar?

O que buscamos com esse questionamento é saber se o valor do aluguel irá aumentar ou diminuir, e se será mais fácil ter o imóvel alugado se estiver reformado. 

Devemos considerar diversos fatores que podem influenciar o inquilino na hora de escolher alugar um imóvel, como a localização, o preço, e principalmente, as condições em que ele se encontra. 

Um dos principais motivos para investir em um imóvel é o retorno de uma renda fixa garantida. Porém, quando falamos de um imóvel alugado, devemos entender que mesmo que o antigo inquilino devolva o local como recebeu, cumprindo tudo que está no contrato, sempre haverão desgastes naturais. Estes são comuns devido ao uso no dia a dia, portanto, necessitam reparos.

Então vale a pena reformar?

A resposta é sim, e o motivo é simples também.

Ao realizar reparos e ajustes pontuais, o proprietário valoriza o seu bem e, consequentemente a tendência é conseguir um valor de aluguel mais alto.

Nem toda reforma precisa acontecer apenas para manter o imóvel bonito. Existem reparos necessários para modernizar a moradia, inclusive nas partes hidráulicas e elétricas.

Além disso, sabemos que cada vez mais as pessoas procuram lugares práticos e funcionais.

Por isso, é fundamental causar uma ótima primeira impressão nas visitas do imóvel. O espaço deve estar limpo, sem cheiro de mofo, com a pintura em dia, piso em bom estado e sem infiltrações.

Além desses aspectos, a segurança da moradia deve ser priorizada pelo locador, realizando reformas que visem manter o imóvel seguro. 

Pontos a destacar na hora de reformar

É importante ressaltar que cada imóvel terá necessidades diferentes de reformas e fica por conta do proprietário decidir o quanto pretende investir.

Independente disso, tenha em mente que reformar é investir no imóvel e aumentar suas oportunidades de aluguel com uma renda superior. Já para quem procura o imóvel para alugar, as condições devem estar dentro do seu orçamento. O inquilino precisa perceber o custo benefício e o valor agregado ao adquirir seu espaço.

Assim, sinalizamos alguns pontos que equilibram o investimento do proprietário com a percepção do locatário:

Pinturas e revestimentos: fatores que chamam a atenção dos futuros moradores. A pintura é primordial e vale destacar ajustes em: rachaduras, umidade, manchas, bolhas e revestimento de teto.

Ajustes dos sistemas elétricos: principalmente em imóveis antigos, é necessário fazer reformas, desde as tomadas até a qualidade da fiação.

Mobiliário e equipamentos: caso a moradia seja mobiliada, é preciso avaliar as condições de cada móvel e/ou eletrodoméstico para verificar se necessitam consertos.

Dedetização e controle de pragas: garantir a eliminação de insetos e outros animais, considerando a saúde dos inquilinos e a limpeza do local.

Pisos e azulejos quebrados: invista em materiais de qualidade, pois a vida útil deles pode fazer toda diferença na durabilidade.

Como iniciar uma reforma?

Como tudo que requer alto investimento financeiro, a reforma deve ser muito bem planejada. Devem se considerar primeiramente as necessidades emergenciais do imóvel. Priorize questões de segurança e deixe as relacionadas à beleza em segundo plano.

Deste modo, fica mais fácil avaliar os custos e estabelecer então o teto de investimento.

05.11.2021

Postado em Dicas

Nenhum Comentário

Dê sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *